Reprodução/Internet

Morre na Itália, aos 91 anos, um dos últimos sobreviventes de Auschwitz

R7 Notícias

O italiano Piero Terracina, um dos últimos sobreviventes do campo de concentração nazista de Auschwitz, na Polônia, morreu aos 91 anos, em Roma, segundo confirmaram neste domingo (8) representantes da comunidade judaica na capital da Itália.

O empresário dedicou a vida a dar o testemunho sobre os horrores que presenciou na estrutura de detenção, tortura e morte operada pelo regime de Adolf Hitler na Alemanha.

Terracina, nascido em Roma, em 1928, foi deportado a Auschwitz quando tinha 15 anos, junto com toda a família, após escaparem de um ataque do exército nazista na capital italiana e viverem clandestinamente durante quase um ano.

Após a libertação do campo, foi o único da família que retornou vivo à Itália, junto com outros sobreviventes, como o químico e escrito Primo Levi.

Desde então, falou sobre a experiência, como um testemunho em primeira pessoa sobre tudo o que viu.

A morte de Terracina foi lamentada por diversas autoridades italiana, como o presidente da República, Sergio Mattarella, que expressou pêsames aos familiares do empresário e à toda comunidade judaica.

Já o presidente do governo, equivalente ao cargo de primeiro-ministro, Giuseppe Conte, agradeceu pelos testemunhos dados pelo sobrevivente, além de pedir que o legado que deixou para a política seja mantido e transmitido para as novas gerações.

O funeral de Terracina está previsto para acontecer amanhã, no Pórtico de Octavia, no coração da comunidade judaica de Roma, para que o corpo seja levado em seguida a um cemitério da capital.


O que achou desta matéria? Dê sua nota!:

0 votes, 0 avg. rating

Compartilhar:

Escreva um comentário