Reprodução/Internet

Mesmo com Fethab, secretário diz que MT precisa de 50 anos para arrumar estradas

Thiago Andrade do GD

Com mais de 20 mil pontes e 24 mil quilômetros de rodovias não pavimentadas, o Estado estuda a criação de um programa de diversificação de financiamento da infraestrutura. Segundo o secretário de Infraestrutura Marcelo Oliveira, só com recursos do Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab) o governo demoraria 50 anos para fazer as obras necessárias para o desenvolvimento.

Para ele, Mato Grosso se mostra um gigante na produção nacional de produtos primários, grande parte destinado à exportação e contribui com a balança comercial brasileira e por conta disso merece uma atenção especial do governo federal em relação à infraestrutura.

“Nós temos 24 mil quilômetros de rodovias não pavimentadas estaduais. Nós temos em torno de 7 mil quilômetros de rodovias pavimentadas, algumas em péssimo estado de conversação. Nós temos 2.600 pontes de madeira em rodovias estaduais, nós temos 150 mil quilõmetros de estradas vicinais, municipais não pavimentadas e temos em torno de 18 mil pontes de madeira em estradas vicinais não pavimentadas, com um adendo: nós produzimos 70 milhões de toneladas de grãos, temos o maior rebanho bovino, temos suínos, temos aves, temos plantas de etanol surgindo para todos os lados. Mato Grosso precisa também de um olhar diferenciado do governo federal”, explicou o secretário.

O Estado arrecada mais de R$ 1 bilhão de Fethab por ano. No entanto, o valor teria que ser necessário de investimento por mês.  “Se nós formos precisar só com o dinheiro do estado de Mato Grosso, em arrecadação de Fethab, nós vamos levar 50 anos para arrumar esse estado, deixar ele bonitinho arrumadinho. Precisa investir mais ou menos em torno de R$ 1 bilhão por mês em novas obras de pavimentação, pontes e manutenção do que já tá feito”.

Segundo Oliveira, o governo busca até parcerias internacionais para conseguir mais dinheiro que será investido em infraestrutura. Outro ponto destacado por ele é são as parcerias público-privadas (PPPs) Sociais, semelhante as PPPs Caipiras do governo Blairo Maggi, que buscará parceria com associação de produtores e beneficiários de estrada para fazer pavientação.

O Estado vai disponibilizar parte dos recursos e as associações a outra parte. Em contrapartida, poderão cobrar pedágio de quem trafega pela via. A licitação do programa está prevista para os próximos dias.


O que achou desta matéria? Dê sua nota!:

0 votes, 0 avg. rating

Compartilhar:

Escreva um comentário