Reprodução/Internet

Deputado Federal acusa governo do Estado de esconder informações sobre VLT

Thalyta Amaral do GD

O deputado federal Emanuelzinho (PTB) usou a tribuna da Câmara na sessão de quinta-feira (17) para criticar a atuação do governador Mauro Mendes (DEM) em relação aos estudos sobre o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). Segundo o parlamentar, “tudo sendo feito às escondidas” e “existe pouca transparência”.

Emanuelzinho manifestou a “indignação” sobre a atuação de Mendes, lembrando que a comissão de estudo em parceria do Estado com a Secretaria Nacional de Mobilidade Urbana não tem a participação do legislativo federal, o que poderia ajudar nas articulações políticas sobre o modal.

“A gente sabe que hoje existe pouca transparência do que se gastou efetivamente e muito menos o que se tem a se gastar”, pontuou o deputado.

Ele também sugeriu a criação de uma comissão na Câmara dos Deputados para fiscalizar o VLT e dar transparência para as informações de gastos realizados e perspectivas de investimento para a conclusão das obras.

De acordo com o parlamentar, há informações de que “está sendo conduzida na Secretaria Nacional de Mobilidade Urbana um direcionamento para o BRT [ônibus de trânsito rápido]. Eu sou a favor do VLT, se for o BRT o melhor, não tem problema, agora tem que ter transparência. Tem que mostra o porquê, deixar em aberto, chamar as instituições para participar do diálogo”.

Emuelzinho também informou que irá buscar apoio das câmaras de vereadores de Cuiabá e Várzea Grande, além de deputados estaduais para articular a divulgação das informações do modal.

“Vamos reunir as forças políticas, vamos trazer os técnicos para dentro. Me coloco como representante da bancada, para juntos encontrarmos alternativa. O que não aceitamos é a falta de transparência”.

Instalada em julho, a comissão criticada pelo deputado é composta por representantes do primeiro escalão do governo de Mendes, como o secretário de Fazenda, Rogério Gallo, e o secretário de Infraestrutura, Marcelo Oliveira.

O objetivo, segundo o governo, é analisar as opções sobre o modal, que está com as obras paralisadas por questões judiciais que ainda não foram julgadas. Planejado para a Copa do Mundo de 2014, o VLT começou a ser construído em 2012, mas as obras foram interrompidas em 2014, após suspeitas de fraudes e superfaturamento.


O que achou desta matéria? Dê sua nota!:

0 votes, 0 avg. rating

Compartilhar:

Escreva um comentário