Reprodução/Internet

Sem consultar “Caciques” do DEM, Fábio Garcia articula para partido não apoiar reeleição de Emanuel Pinheiro em 2020

Rodivaldo Ribeiro

O ex-deputado federal e suplente de senador, Fábio Garcia (DEM), adiantou-se às articulações do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), que diz a toda gente como anda tentando apoio dos Democratas à sua reeleição, e resolveu indicar nada menos que quatro correligionários próximos para o comando do diretório municipal do DEM em Cuiabá.

Além de ignorar solenemente a opinião dos dois mais velhos caciques da sigla no Estado, os irmãos Júlio e Jayme Campos, Garcia voltou-se somente a pessoas ligadas ao governador Mauro Mendes (DEM) e de quebra deixou de fora o presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho (DEM), que é constantemente lembrado pelo prefeito como simpático ao projeto de reeleição. Botelho e os irmãos Campos são considerados os principais articuladores do apoio do DEM ao prefeito.

Para a presidência do DEM, foi indicado Alberto Machado, o “Beto 2 a 1”, que também é secretário-chefe do Gabinete do Governador do Estado; o vice-presidente é justamente o assessor do presidente da Assembleia, o ex-vereador Domingos Sávio; a tesouraria foi passada ao advogado Pascoal Santulo, também ligado ao governador. Por fim, o quadro foi completado com os membros: a ex-deputada estadual Chica Nunes, ex-assessora de Garcia na Câmara dos Deputados; José Rodrigues Rocha Junior, diretor da Agência de Regulação dos Serviços Públicos Delegados; Marcelo de Oliveira e Silva, secretário de Infraestrutura do Estado; Thiago França Cabral, assessor do Governo do Estado; e, por fim, Júlio Campos.

A situação gerou uma crise interna no DEM. Júlio Campos teria se revoltado com as mudanças operadas por Fábio, logo que delas tomou conhecimento. Especialmente, porque o neto do ex-governador Garcia Neto está licenciado da presidência do diretório estadual do partido.

Teria mesmo esbravejado e reclamado a gente próxima do “desrespeito” cometido não só contra ele, mas contra os “cerca de sete mil filiados” do partido em Cuiabá.

Uma reunião extraordinária já teria sido marcada para sexta-feira (16) para que Garcia explique a decisão. Outras lideranças do partido – como Jayme Campos, Eduardo Botelho e, possivelmente o governador Mauro Mendes -, devem participar do encontro.

AFASTAMENTO DE EMANUEL

A nova comissão provisória do DEM – próxima a Fábio Garcia e Mauro Mendes – deve afastar o partido de Emanuel Pinheiro. Isso porque, o ex-deputado federal já defendeu publicamente que o partido não participe do arco de alianças do gestor, que deve buscar a reeleição em 2020. O governador também costuma “trocar farpas” com o prefeito via imprensa.

Já Emanuel, confia ter apoio do DEM por conta de sua proximidade com a família Campos e com o presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho. Nas últimas semanas, tem evitado rebater o governador e diz ter adotado o estilo “Emanuelzinho, Paz e Amor” para conquistar o apoio do chefe do Executivo no seu desejo de permancer a frente do Palácio Alencastro por mais 4 anos.


O que achou desta matéria? Dê sua nota!:

0 votes, 0 avg. rating

Compartilhar:

Escreva um comentário