JL Siqueira/AL

Deputado, irmãos e mãe passam a ser investigados na Operação Polygonum

Pablo Rodrigo

Ministério Público de Mato Grosso (MPMT) abriu inquérito contra o deputado estadual Carlos Avalone (PSDB), seus irmãos, Carlo Eduardo e Marcelo Avalone, e sua mãe, Ida Festa Avallone, por possíveis fraudes no Cadastro Ambiental Rural (CAR), da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema). O inquérito é oirundo da Operação Polygonum, deflagrada no ano passado e se encontra na sua 3ª fase.

De acordo com a portaria assinada pelos promotores de Justiça, Marcelo Caetano Vacchiano e Joelson de Campos Maciel, a inclusão do deputado, seus irmãos e sua mãe nas investigações, se deve ao fato de que “informações falsas foram inseridas e identificadas”, referente às Fazenda Goio Bang I e II, no município de Rondolândia (1.600 km a noroeste de MT).

A operação é originária de investigação da Delegacia do Meio Ambiente em conjunto com o Ministério Público, decorrente de esquema detectado no sistema de regularização e monitoramento de propriedades rurais e instrumentalizados no Cadastro Ambiental Rural (CAR).
Durante as investigações, foi revelado a existência de uma organização criminosa que operava fraudando o Sistema de Cadastro Ambiental Rural. Os ilícitos, segundo apurado, envolviam fraudes e modos de operação diversos.

O grupo denunciado inclui João Dias Filho, Alan Richard Falcão Dias, Guilherme Augusto Ribeiro, Hiago Silva de Queluz, João Felipe Alves de Souza, Brunno César de Paula Caldas e Márcio José Dias Lopes. O ex-secretário de Estado de Meio Ambiente, André Luis Torres Baby também responde por Constituição de Organização Criminosa no âmbito da Sema e inclusão de dados falsos em sistema informatizado.

O nome da operação, Polygonum, faz referências a medidas geométricas de áreas, referenciadas em dados de propriedades, terrenos e cálculos de desmatamento.


O que achou desta matéria? Dê sua nota!:

0 votes, 0 avg. rating

Compartilhar:

Escreva um comentário