Reprodução

Palácio Alencastro tem “mal estar” e vice indica rompimento com prefeito

Diário Cuiabá

As articulações políticas para o pleito do ano que vem já estão movimentando o Palácio Alencastro e gerando “mal estar” entre o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) e seu vice, Niuan Ribeiro (PSD).

De olho na disputa majoritária de 2020, o social democrata tem intensificado uma movimentação nos bastidores, com o intuito de desvencilhar a sua imagem à do chefe do Executivo Municipal, principalmente por conta das inúmeras denúncias que estão surgindo contra o prefeito.

Para tanto, Niuan tem tentado se aproximar do Parlamento Municipal. Prova disso é que, após a denúncia envolvendo a locação de um imóvel que nunca foi utilizado pela Secretaria dos 300 anos, bem como o cancelamento da festa de aniversário da Capital, o vice-prefeito passou a defender a extinção da pasta.

“O prefeito acertou em criar esse clima de festividade em alusão aos 300 anos de Cuiabá, mas temos que trabalhar para entregar obras. Até por isso defendo a extinção da Sec 300. Temos que parar com essa polêmica e só assim a gente terá paz para trabalhar. Extingue a Sec 300 e vamos focar no que interessa à população. Vamos focar em Saúde, Educação, em cuidar da cidade. Com a extinção, são R$ 2,5 milhões de economia ao ano, que podem ser direcionados a outras áreas”, disse.

Apesar disso, Niuan nega qualquer tipo de desavença entre ele e o prefeito. O social democrata afirma que apenas tem expressado o seu ponto de vista como vice-prefeito da Capital.

“As pessoas tem esse discurso, mas aí eu pergunto: o que eu ganho brigando com o prefeito? O que Cuiabá ganha? Mas o que ganho ficando quieto? Eu tenho que me expressar. Sou um agente político. Se eu não me expressar, do que vai valer minha condição de vice-prefeito? Mas toda opinião que emito é pensando no melhor por Cuiabá”, justificou.

Vale lembrar, entretanto, que em convenção realizada na semana passada, o Partido Social Democrático (PSD) definiu que terá candidatura própria em Cuiabá no próximo ano.

Por outro lado, o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) tem dito aos quatro cantos que não pretende ser candidato a reeleição em 2020. “Não posso dizer dessa água não beberei. Mas a primeira-dama não quer, ela é meu braço direito, então pesa, né?! Eu ainda tenho o contraditório. Mas ela me pediu e é um compromisso que nós fizemos, porque ela já não queria da ultima vez. Então, vamos levar até 31 de dezembro. Deixa 2020 para 2020”, disse o emedebista.


O que achou desta matéria? Dê sua nota!:

0 votes, 0 avg. rating

Compartilhar:

Escreva um comentário