Divulgação

TRE dá prazo de 3 dias para Mauro Savi corrigir irregularidades

Pablo Rodrigo do GD

Justiça Eleitoral estabeleceu prazo de 3 dias para que o deputado estadual Mauro Savi (DEM) corrija irregularidades no requerimento de registro de candidatura, oficializado na semana passada.

De acordo com intimação da Procuradoria Regional Eleitoral, datada de domingo (9), Savi não apresentou as “certidões da Justiça Federal de 2º grau e da Justiça Estadual de 1º grau”, documentos obrigatórios para o registro.

O pedido de registro de candidatura ocorreu após o empresário Jeremias Prado dos Santos (DEM) ter desistido da disputa. Com isso, Savi solicitou autorização do partido para concorrer.

Apenas Mauro Mendes (DEM), que disputa o governo do Estado e Jayme Campos (DEM), candidato ao Senado, votaram contra a candidatura.

Os dois temem que a chapa seja atacada pelos adversários por conta da situação jurídica que se encontra o parlamentar. Após a decisão de permitir que Savi protocolasse o seu pedido de registro de candidatura, o DEM emitiu nota confirmando a votação, deixando claro que Mendes e Jayme foram contrários.

Mauro Savi esteve preso até o dia 24 de agosto, e foi solto após passar 107 dias no Centro de Custódia de Cuiabá (CCC), sob a acusação de integrar um esquema de desvios de R$ 30 milhões no Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT), fatos revelados pela operação Bereré/Ventríloquo.

Savi se tornou réu em ações penais derivadas das operações Bereré e Ventríloquo, porém, não possui condenação em segunda instância. Dessa forma, ele não se enquadra na Lei da Ficha Limpa.

De acordo com as investigações, o deputado seria o responsável pelas indicações políticas no Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT) durante o governo Silval Barbosa.

O parlamentar é considerado um dos principais beneficiados no esquema de propina na autarquia.


O que achou desta matéria? Dê sua nota!:

0 votes, 0 avg. rating

Compartilhar:

Escreva um comentário