Reprodução

Mauro nega defender Silval para criticar Taques

Celly Silva do GD

Após o governador e candidato à reeleição em Mato Grosso, Pedro Taques (PSDB), afirmar nesta semana que o ex-governador Silval Barbosa faz campanha para o também candidato ao governo, Mauro Mendes (DEM), e que este faz defesa do condenado pela Justiça para criticar a atual gestão, o democrata negou as acusações, argumentando que seus comentários são apenas constatações.

“Eu nunca fiz a defesa de ninguém, eu não sou porta-voz de ninguém. Agora, verdades têm que ser ditas. Pegue o balanço de 2012 do Estado de Mato Grosso e pegue o de 2017. Analise os números. Pergunte a eles quantos convênios ele conseguiu capturar nesse período que vai deixar pro próximo governador? Certamente, não será ele. Isso são fatos que têm que ser ditos”, afirmou na quarta-feira (22), em seu comitê central, em Cuiabá.

Como exemplo, o candidato citou o Mato Grosso Integrado, programa de pavimentação de rodovias estaduais criado na antiga administração e que o próprio Silval Barbosa confessou em sua delação premiada que foi permeado de esquemas de propina e corrupção junto a empresas, deputados estaduais e conselheiros de contas, que em troca de dinheiro, não cumpriam o dever de fiscalizar a aplicação dos recursos. Na atual gestão, Taques mudou o nome do programa para “Pró-Estradas”.

“Quem arrumou o dinheiro pra fazer o MT Integrado? Quem licitou as obras do MT Integrado? Quem assinou os contratos do MT Integrado? Isso são verdades. Agora, o Silval cometeu crimes, confessou e tem que pagar por isso. E tem que pagar duramente. Agora, verdades têm que ser ditas também e ninguém pode se apropriar daquilo que não é seu”, alfinetou Mendes.

Questionado se Silval Barbosa interfere de alguma forma em sua campanha e se fará parte de seu governo, como Pedro Taques sugeriu que seria secretário de Infraestrutura, Mendes lembrou sua trajetória política contra o ex-governador e desqualificou a crítica do tucano.

“Eu fui adversário do Silval em 2010, enfrentei ele como candidato ao governo do Estado de Mato Grosso; fui adversário do Silval em 2012, enfrentei ele quando ganhei para prefeito de Cuiabá porque ele apoiava o candidato que nós derrotamos, isso é verdade. O resto é conversa fiada de quem está tentando arranjar um garrancho pra não morrer afogado”, afirmou.


O que achou desta matéria? Dê sua nota!:

0 votes, 0 avg. rating

Compartilhar:

Escreva um comentário