Reprodução

Tempo de TV e rádio define chapa de Mauro Mendes

Pablo Rodrigo do GD

Com data já agendada para lançar oficialmente as candidaturas ao governo do Estado e Senado, o Democratas (DEM) deve usar o critério tempo de propaganda na televisão para escolher, entre os aliados disponíveis, quem ocupará as vagas ainda em aberto na chapa majoritária. A tendência é que PSD e PRB saiam na frente do PDT e indiquem, respectivamente, o segundo candidato a senador e o nome à vice-governadoria.

Ex-vice governador e presidente do PSD em Mato Grosso, Carlos Fávaro trata dos últimos detalhes para se garantir na disputa ao Senado, na chapa do DEM. Sua legenda é a quinta com o maior em tempo de propaganda em rádio e televisão: tem 34,2 segundos, conforme projeções feitas com base na atual legislação eleitoral. O tempo é maior que do próprio Democratas, que terá 19,9 segundos para a campanha ao governo.

A vaga de vice-governador é que ainda gera entraves para o DEM. Conforme A Gazeta apurou nos bastidores, o deputado federal Adilton Sachetti (PRB) tem ganhado força como opção à vaga, já que a sigla terá os mesmos 19,9 segundos. Além disso, Sachetti tem base eleitoral em Rondonópolis, terceiro maior colégio eleitoral de Mato Grosso.

Dois fatores, contudo, ainda precisam ser resolvidos: convencer o próprio Sachetti a aceitar o desafio e desistir da pré-candidatura ao Senado e convencer o PDT, do ex-prefeito Otaviano Pivetta e do deputado Zeca Viana de que a vaga não será deles.

Pivetta é cotado como vice muito antes do próprio Mauro Mendes confirmar a candidatura. Tanto que Zeca Viana, presidente do PDT, já defendia a aliança mesmo com o lançamento de Pivetta ao governo.
A tese defendida nas últimas semanas, porém, é de que Pivetta precisa recuar, ser o coordenador da campanha, com compromisso de um cargo no governo, ou ainda disputar uma cadeira na Câmara Federal ou Assembleia Legislativa.

Em termos de tempo de rádio e televisão, o PDT está quase empatado com o PRB. Tem 19 segundos. A “disputa” entre Sachetti e Pivetta, entretanto, também passará pela regionalidade. Pivetta é da região Norte, que já estaria contemplada com Fávaro na chapa.

Outro fator favorável a Sachetti é sua relação com o ministro da Agricultura, Blairo Maggi (PP), que já avisou que não vai apoiar nenhum candidato neste ano, mas, para muitos, dificilmente negaria apoio ao deputado.


O que achou desta matéria? Dê sua nota!:

0 votes, 0 avg. rating

Compartilhar:

Escreva um comentário